segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Objeto de Aprendizagem - Menino Curioso

Menino Curioso é um software educacional que contém 11 jogos para crianças da pré-escola à quarta série, acessível tanto para crianças de visão normal, quanto para aquelas com baixa visão ou cegas, pois utiliza o som, mas também pode ser indicado para crianças com dificuldades de aprendizagem nas áreas de Linguagem e Matemática. Isto porque o software Menino Curioso trabalha, através de processo lúdico, as diversas fases do processo de alfabetização tendo como objetivo tecnológico explorar teclado e mouse, para familiarizar-se com a máquina e, como objetivo pedagógico reconhecer e identificar as letras do alfabeto e numerais de zero a nove.
As possibilidades de aprendizado do software Menino Curioso abrangem não só a escrita, mas também as percepções que envolvem a fala, o saber ouvir, o momento de interagir, o reconhecimento de vogais e consoantes, números, a construção de palavras, as relações de espaço, psicomotricidade ampla e fina, entre outros. Esta é uma das formas que temos de proporcionar segurança e auxiliar a criança em sua busca constante por autonomia nos processos de aprendizagem. Um sujeito com alguma limitação também tem necessidade de aprender por si só, e encontrar caminhos, ferramentas, possibilidades e descobrir novidades em sua trajetória de vida.

O software foi premiado como a melhor multimídia educacional no Festival Internacional de Multimídia, em Paris, 1995 e foi e desenvolvido pelo professor José Antonio Borges (UFRJ).

Fazendo uma breve análise para entender o funcionamento deste SW, constata-se que o aluno pode explorar o objeto da maneira que convier, pois ele não se constitui em uma atividade linear. Assim, o aluno deve interagir com o objeto para descobrir as opções de jogos que este oferece. Entretanto o ideal seria começar pelas letrinhas, pois é aí que o software é contextualizado, então o(a) professor(a) pode apresentar o software indicando aos alunos que comecem pelas letrinhas.
Dentre os jogos que compõem o software “Menino Curioso”, tem-se:
Figurinhas: Explorar o teclado digitando letras; permite montar um álbum de figurinhas associando letras a palavras que iniciem com as letras apresentadas. Para cada associação feita, o usuário recebe uma figurinha para colar no álbum.
Continha: aqui é possível fazer contas de somar e subtrair apenas uma parcela e com resultados até 9. A cada resposta certa, é contabilizado um gol para o usuário.
Embaralha: o objetivo é desembaralhar quadros de cenas diferentes.
Inventor: com três níveis de dificuldades, permite misturar as letras para formar diversas palavras.
Labirinto: essa atividade tem dois níveis de dificuldade: em um labirinto menor, formam-se palavras mais curtas, e, em um labirinto maior, formam-se palavras maiores e com a escrita mais complexa.
Letrinhas: o objetivo é explorar o teclado digitando as letras e conhecendo-as através de sua associação com uma palavra iniciada por ela.
Liga pontinhos: o objetivo é ligar os números exercitando a ordem numérica a fim de descobrir a figura escondida.
• Monta cena: permite criar uma cena inserindo figuras diversas.
Quebra quebra: o objetivo é montar quebra-cabeças reconstituindo as figuras que se quebraram.
Quadro de letras: o usuário, usando as letras do alfabeto, pode escrever diversas palavras em um quadro.


Neste link pode-se baixar diretamente o SW zipado: http://www.proinesp.ufrgs.br/softwares/curioso.zip

Descrição dos onze jogos do software Menino Curioso na internet: http://bento.ifrs.edu.br/acessibilidade/pdf/menino_curioso.pdf

No endereço http://saci.org.br/index.php?modulo=akemi¶metro=20726 tem uma entrevista com José Antonio dos Santos Borges, que entre tantas produções criou o Dosvox e o Motrix. É interessante, como nossa convivência (ou não) com o deficiente é que determina ações desse tipo. Pelo fato dele ter tido um aluno cego, sensibilizou-se a ponto de desenvolver uma ferramenta para que este aluno pudesse acompanhar as aulas. E, não parou por aí...

Trecho da entrevista com o criador do SW Menino Curioso:
Antonio Borges - "O processo de inclusão é exatamente isso, um processo. Não é algo que se resolva com uma canetada. O desenvolvimento de soluções demora muitos anos, e neste processo, muitos erros são cometidos. Acho que passado o momento inicial do "oba oba" de inclusão a qualquer preço, os educadores estão achando os caminhos, que envolvem a utilização coordenada de ensino especializado junto com a escola convencional, a utilização de tecnologia e muitas outras coisas, inclusive de ordem administrativa e política.
Os educadores começaram há pouco tempo a ser treinados, e até atingirem um grau aceitável, demora um tempo. Há também carência na aquisição de artefatos tecnológicos, de adaptação nas escolas e de material didático adaptado.
O caminho da inclusão é bastante longo, e apenas começa a ser trilhado."

Este trecho da entrevista sintetiza o que estamos fazendo ... Já começamos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário